Wednesday, January 10, 2018

welcome back my friend

here you come
welcome back my friend
i whispered amidst the night
and the day that followed
the night as usual.
i looked at the clock
and sighed for the minutes
are long and the hours longer
and i need time to speedy up
so i can finally join you
and miss
the ones
I left behind
for a little while,
as eternity is long
and i'm bound to find them around
sooner or later


Tuesday, January 9, 2018

Nossa Senhora

escrevo escondida de mim
amparada por Nossa Senhora
do Imaculado Coração
entre o amor à voz que soa
e ecoa por entre o sangue
que jorra quente e lento
frente ao teu rosto
puro e sereno
fortaleza do feminino ser
que exala da mulher mais
cheia da cristandade inteira
âmago da carne e do desejo
de se ver noutra mulher
e de outra mulher poder ser
noutra mulher se entregar
e outra mulher receber
escrevo escondida de ti
mas amparada em teu braço
que terna acaricio,
e que terço rezaria
infindas as noites de romaria
beijando pérola por pérola
todas as rotundas Glórias
e santificadas Avé Marias
Puríssimas nas lágrimas
que nos unem
rios de vozes e desejos
que certos
por mais ninguém passam
que não o inexistente corpo
da prenha mulher
cheia de si
e que escondida
talvez mais de mim
do que de ti
se espraia e exala
tão sublime sopro de tão alada criatura
que só e apenas te pressentindo
se eleva às Alturas
em sonhos
que nem a esboçar
me atrevo
mas que em uníssono
cantamos
líricas.



cestos de framboesas

Não posso contemplar o teu amor
porque dele fazes um cesto
onde colectas
prezadas framboesas.
Pois a ti devo dizer
que cestos são coisas
e framboesas loisas
enquanto o amor
é manso repouso
que se envolto em neve
arde insano
cobrando-te altas noites de vigília
onde apenas dormitas
esperando que se te não acorde
flama ardor nem mina
cerne do recomeço da vida.
A ti devo dizer que não te aflijas
nem com a traição
nem com os decretos de eterno
sofrimento
porque o amor
quando cresce
como as tuas framboesas
é a cada Inverno
cobertor e chama
lençol e penas
erros e malfadadas fortunas
mas Haja amantes
de amado amor alentados
do pranto santo caminho
se enlaça
e de cada erro
sublime o amar se traça.
Assim é o amor.
De que fazes um cesto.
Diz-me, pois
com tantas framboesas
crês que caberemos?

Thursday, December 14, 2017

jokers and harlots and silly me

if only they had taught me to look the other way
but they didn't, they taught me to be strong
and be myself, and respect and be respectful
and believe I would be respected
oh, why didn't they teach me that respect doesn't warrant
respect
that love does not breed love
that giving everything you have
does not mean
one will give you
a
flower?
maybe, maybe, just maybe
I wouldn't feel so darn lonely

one minute

the emptiness of each day reflects in the full
twenty four hours
where my body resorts to talking
walking eating and sleeping
as if one more day meant the world
is still spinning and life still unfolding
and me
still waiting
for another time
in which the hours would shorten up
to the minute
I actually see you

Monday, October 16, 2017

entre dedos

até ontem o medo de te tocar
era tão real quanto a porta
que bate no final do dia
quando chega a estrada
e eu nem sei que horas são
até ontem minhas mãos
erguiam-se meio hirtas
meio mortas entre o desejo
da porta
e a chegada do final do dia
hoje te olho deitado
no fim do chão
entre o tempo que passa
e a minha própria solidão
e meus dedos
alongadas hastes
bicos de flamingos
suspensos
na cor mansa maranhão
de gansos e de penas que
se evolam no sonho
do teu corpo
que dorme na mais perfeita inanição
e se alongam,
meus dedos,
um terço de tuas mãos.

Thursday, October 5, 2017

pouco importa

te olhando tremendo te vejo silente
para além do momento
em que entras te sentas e me assentas
arraiais em mim dono de tudo
o que não te dou
pois nem eu sou senhora
do que de mim subtrais
no chicote do rigor
ou da mentira que deposito em tuas mãos
já lambidas já sugadas já comidas
por mim tão esfaimada da vida
que pouco importa a conta
das chicotadas prometidas

te olhando te digo tremendo
minhas pernas escorrendo
leite e todos os pássaros
que em mim voam cachoeira que sou
de ninhos recônditos
pouco importa a conta meu Senhor
porque agora a hora foi morta
e de lá dos confins do mundo
não mais Sua Senhoria suporta
a minha falta gloriosa