Wednesday, August 28, 2013

saudade de você como se de sempre

saudade de você como se de sempre
teus repenicados rr como onda arranhando a rocha.
me desmanchando inteira desde sempre.
teu olhar escuro e verde e musgo
rasgando a pele macia de conchas brancas
um veludo imperceptível vivo de espuma
e de um linguajar de mar
amar
sem
saber
a
quem.
e amamos mal nos arranhamos.

Monday, August 19, 2013

e da vontade de me vomitar a mim mesma

e da vontade de me vomitar a mim mesma
resta o olhar de palhaça meio mimo meio morta
o sorriso encardido e as lágrimas de menos
que engulo no esquecimento
e na certeza
do vómito matinal